Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 23 de março de 2010

É a total falta de estrutura

Nesta terça pipocou na imprensa carioca uma enorme bomba flagrando a falta de estrutura do futebol fluminense e brasileiro.

Depois da queda de braço entre FIFA e S.P.F.C. sobre o uso do estádio do Morumbi na abertura Copa de 2014, agora outro enorme problema surgiu, desta vez no Rio. Segundo o ótimo colunista Ancelmo Gois, foi detectada uma falha na estrutura do estádio Engenhão, atualmente administrado pelo Botafogo. Uma reunião de emergência será realizada ainda nesta semana afim de uma solução e melhorias .

Agora imaginem os senhores uma cidade com 4 grandes times, caso o Engenhão seja suspenso, tendo somente São januário com a capacidade para 25 mil torcedores como palco do futebol do estado durante três campeonatos nacionais e quatro estaduais até o fim da obra no Maracanã.

A falta de estrutura com perdão do trocadilho encontrada nos estádios brasileiros é algo assustador. Em São Paulo o Pacaembu é uma válvula de escape juntamente com o Palestra Itália, para jogos na auxência do Morumbi. O Canindé que seria uma terceira opção tem sua capacidade reduzida pelo corpo de bombeiros da capital em grandes jogos, além de enormes e visíveis problemas estruturais, infiltrações e etc...

Em Belo Horizonte a coisa é muito pior, o Independência será a opção para os jogos de Cruzeiro e Atlético-MG sem o Mineirão. Ou então estádios do Interior para os clássicos, uma vez que um clássico entre estas equipes no Independência seria uma loucura.

A Bahia já vive este problema desde a queda de parte da arquibancada da abandonada Fonte Nova, aonde Pituaçú tornou-se a opção para jogos dos grandes, juntamente com o Barradão, estádio do Vitória, não utilizado pelo Bahia.

Ou seja, espero que os inspetores da FIFA estejam ocupados com os estádios Sul Africanos, pois se derem uma chegadinha ao Brasil verão um Maracanã abandonado, sem nenhuma obra expressiva, com parte do reboco caído no clássico Flamengo x Vasco no último mês, além de outros absurdos e atrasos no cronograma de obras que por sinal quase não são vistas pelo país todo.

É Brasil, quatro anos passam muito rápido para quem tem que contruir praticamente 9 novos estádios, além de hotéis, estrutura aeroportuária que é péssima em todo o país por sinal, policiamento e etc...

É Brasil, enquanto nos divertimos com a copa africana, os engravatados políticos da FIFA devem estar pensando que em 8 anos a entidade maior do futebol pode ter se metido na maior enrascada da sua hitória no maior esporte do mundo .

Mas como costumam dizer que Deus é brasileiro, que ele de plantão ajude a organização da nossa copa, porque irão mesmo precisar !

Um comentário:

  1. Vá lá que ainda restam quatro anos para o país organizar e reformar os estádios, tudo conforme a FIFA exige.

    O problema é a indefinição com relação aos estádios participantes e a guerra de bastidores para definir onde será a abertura e quais estádios receberão jogos-chave.

    Sob Morumbi e Mineirão, os favoritos ao prêmio de sediar a abertura, pairam duas questões que, embora banais em um primeiro momento, podem decidir a escolha. O peso de serem os principais colégios eleitorais do Brasil e, neste ponto a balança pende para São Paulo, a força de sua economia.

    ResponderExcluir